Mais de mil trabalhos inscritos na VI Semana Universitária da Unilab

Abertura da IV Semana Universitária da Unilab no Ceará

A sexta edição da Semana Universitária (Semuni) da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (Unilab) começou na última terça-feira (22) e este ano reúne uma comunidade acadêmica em volta do tema “Ciência e diversidade de gênero: produção de saberes para a afirmação dos direitos humanos”.

A Semuni acontece ao longo desta semana, até sexta-feira (25). O evento anual representa um espaço de reafirmação do compromisso da universidade, enquanto Instituição Brasileira de Ensino Superior (IES), na produção de conhecimento, respeitando as diferenças e a diversidade de saberes, culturas e experiências, convidando a sociedade a unir-se a seus servidores técnico-administrativos, docentes e discentes por meio das atividades propostas. São palestras, minicursos, apresentações artísticas e culturais, além de apresentações de trabalhos com ampla participação de diferentes públicos.

Grupo Voising, da Guaiuba/CE, na Abertura da VI Semana Universitária da Unilab

A manhã começou com a abertura das atividades no Auditório do Campus da Liberdade, em Redenção/CE, embalada pelas melodias e cantos do Grupo Voising, do município de Guaiuba/CE, surgido em meados de fevereiro de 2017, cujo nome vem da junção das palavras em inglês voice (voz) e sing (cantar). O grupo promoveu a mescla de diferentes estilos musicais brasileiros, com arranjos vocais de coral e backing vocals.

A vice-reitora pro tempore da Unilab, Andrea Linard, juntamente com a pró-reitora de Extensão, Arte e Cultura (Proex), Rafaella Pessoa, a pró-reitora de Pesquisa e Pós-Graduação (Proppg), Albanise Marinho, o pró-reitor de Graduação (Prograd), Edson Holanda e a pró-reitora de Políticas Afirmativas e Estudantis (Propae), Socorro Maciel, apresentaram as ações e evoluções da universidade ao longo destas seis edições no contexto de desenvolvimento da pesquisa, graduação e extensão.

Reitoria e Pró-reitorias realizaram a abertura de mais uma edição da Semuni no Ceará

Unilab em Destaque

Em destaque fica o número de trabalhos inscritos em 2019. Conforme dados apresentados pela professora Rafaella Pessoa da Proex, mais de mil trabalhos inscritos (entre apresentação de poster e oral) para serem apresentados na VI Semuni da Unilab, com diferentes abordagem de pesquisas.

“Isto mostra o quanto a Unilab cresceu, dentro destas seis edições. Destes mil trabalhos, muitos são de estudantes bolsistas: de pesquisa, monitoria, extensão. Isto mostra a consolidação da universidade, dos programas de incentivos às bolsas acadêmicas, gerando destaque aos estudantes da Unilab para o resto da vida”, relatou Rafaella Pessoa.

Professora Rafaella Pessoa, pró-reitora da Proex/Unilab

Para Socorro Maciel, da Propae, a Semuni é “um momento ímpar na vida de uma universidade, e na Unilab, com a nossa diversidade, é uma experiência enriquecedora. Um momento em que a universidade devolve para a sociedade o investimento que é feito. Em que o conhecimento científico e a ciência reafirmam sua importância e papel social. Momento em que a ciência se volta para o cotidiano e coloca-se a serviço da sociedade”, declarou a assistente social com mestrado em Educação.

Unilab e a sua Extensão

Conforme dados repassados pela pró-reitora da Proppg, a Unilab dispõe de oito programas de pós-graduação e oito cursos de pós-graduação, “Fechamos a semana com, aproximadamente, 500 trabalhos de iniciação científica e 48 trabalhos de pós-graduação. Isto mostra que a nossa Semana Universitária está consolidada e que a pesquisa está crescendo cada dia mais”, declarou a professora do Instituto de Desenvolvimento Rural (IDR), mestre em Engenharia Agrícola.

Nesta mesma data (22 de outubro) foi aberto o VIII Encontro de Iniciação Científica da Unilab nos campi do Ceará, que desde 2011 está em atividade, desenvolvendo e apresentando pesquisas, mostrando, assim, o compromisso da Unilab com a pesquisa e pós-graduação. Em 2014 foi aberto o primeiro curso de mestrado – Masts (Mestrado Acadêmico em Sociobiodiversidade e Tecnologias Sustentáveis).

Albanise Marinho, da Proppg, apresentou dados crescentes de rendimentos em iniciação científica de estudantes da Unilab

Rendimento de Bolsistas da Unilab

Em dados parciais apurados pela Proppg/Unilab, cerca de 40% dos estudantes foram bolsistas de iniciação científica do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (Pibic) e estão na pós-graduação. Muitos deles selecionados em doutorados. Um dado recente revela que 45,5% dos estudantes do curso de Agronomia da Unilab, que foram Pibic, estão na pós-graduação.

“Isto mostra que a Unilab está cumprindo o seu papel da iniciação científica, que é: favorecer, ampliar as oportunidades dos alunos bolsistas”, finalizou Albanise Marinho.

As professoras: Celecina Sales da UFC e Matilde Ribeiro do IH/Unilab

Abordando a temática “Ciência e diversidade de gênero: produção de saberes para a afirmação dos direitos humanos”, a professora da Universidade Federal do Ceará (UFC) Celecina Sales trouxe informações e discussão de ações desenvolvidas com públicos e temáticas atuais quanto à diversidade de gênero no Brasil, estando sob a coordenação da professora do Instituto de Humanidades (IH/Unilab), Matilde Ribeiro.

 

 

 

Semuni em São Francisco do Conde/Bahia

Abertura da Semuni no Campus dos Malês/BA

Alunos, servidores, comunidade externa e também crianças participaram da abertura da Semuni no Campus dos Malês, em São Francisco do Conde/BA. “A universidade é de todos nós, inclusive amigos, vizinhos e familiares”, defendeu a professora e integrante da Comissão Organizadora da Semuni 2019 Ana Rita Barbosa, diante do público no auditório do campus, na tarde de terça-feira (22).

“Este é o momento de socializarmos tudo que temos feito na universidade, em termos de pesquisa, ensino e extensão”, declarou Ana Rita. Além dela, a mesa de abertura teve a presença do professor Ismael Tcham, representando o Instituto de Humanidades e Letras (IHL), e da professora Elizia Cristina Ferreira, diretora substituta do campus.

Mesa de Abertura da Semuni na Bahia

Ciente da necessidade de entender o evento como um momento de compartilhamento e produção de conhecimento, Elizia demonstrou alegria ao ver o crescimento da Semuni. Ela, que participou da comissão da primeira Semana Universitária, deixou claro o objetivo maior da atividade. “A Semana Universitária é quando a gente pode deleitar, conhecer, aproveitar tudo aquilo que a gente produz em termos acadêmicos, das mais variadas possibilidades que a universidade apresenta – na pesquisa, na extensão e nos programas de assistência”.

Palestra de Abertura com Georgina Gonçalves 

Georgina Gonçalves dos Santos, professora da Universidade Federal do Recôncavo Baiano (UFRB)

Parceira da Unilab/Malês em projetos e visões, a exemplo do Observatório da Vida Estudantil (Observe), Georgina Gonçalves foi a palestrante da abertura da Semuni na Bahia. Ela, que é mestre em Educação pela Universidade Federal da Bahia (UFBA) e doutora em Ciências da Educação pela Université de Paris VIII, foi vice-reitora da Universidade Federal do Recôncavo Baiano (UFRB) e atua nas áreas de ações afirmativas, políticas sociais e vida universitária.

Preconceito, racismo, diversidade e direitos humanos foram as palavras-chave da docente, fazendo referência ao tema da Semuni 2019. “Seria simples falarmos apenas em números, mas quando nos aproximamos das questões estatísticas mais a minude vemos o quanto é preciso evoluir para que mulheres, negras, negros e diferentes gêneros também tenham destaque na ciência e na produção científica”, assegurou. 

A docente defendeu não apenas a construção de saberes a respeito da diversidade de gênero, mas sobretudo a inclusão de todos nessa discussão. “Nós produzimos conhecimento sobre a questão [diversidade de gênero], mas esses sujeitos não são os sujeitos beneficiários das políticas de educação superior. É preciso que possamos falar de ciência, mas também é preciso que possamos falar nas diversas dimensões que as ações afirmativas precisam começar a se aproximar, no sentido de garantia de direitos e posições democráticas”, concluiu. 

Trata-se de uma discussão que precisa existir na universidade, mas também fora dela. A Semana Universitária surge como um dos momentos propícios para essa abordagem, reunindo comunidade acadêmica e externa. E a Unilab tem sido palco propulsor para essa construção de conhecimento.

Programação

Nesta edição, a Semuni reúne palestras, oficinas, mesa-redonda e apresentações acadêmicas já inscritas. Rafaella Pessoa solicita aos inscritos que compareçam aos eventos, para que não possa a vir prejudicar os demais interessados. Além disso, deseja que todos venham prestigiar também os colegas, stands e suas temáticas diversificadas, atuais e interessantes.

Participe!

Confira o cronograma e a programação no site da VI Semuni!

Matérias relacionadas

Diversidade dá o tom da programação artístico-cultural da Semana Universitária 2019

IV Mostra da Vida Estudantil enfoca permanência e outras temáticas

Abertas Inscrições para as Atividades Acadêmicas da VI Semana Universitária da Unilab

Cursos de Pós-Graduação da Unilab

Unilab aprova novos cursos de Pós-Graduação (stricto e lato sensu) para 2019-2020

Comentários encerrados.