Segundo dados do Ministério da Educação, a Unilab está entre as universidades com menores índices de evasão acadêmica

Recentemente, o Ministério da Educação (MEC) divulgou um estudo sobre a evasão universitária, levando em conta os matriculados em 2018 em comparação com os de 2017. A partir deste recorte, traçou um ranking nacional de evasão universitária que listou 63 universidades. A Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (Unilab) aparece em 12º lugar, com um percentual de 11,2%, estando, portanto, entre as universidades que têm menores índices de evasão universitária no Brasil.

Com este índice de 11,2%, a Unilab apresenta a menor taxa de evasão universitária do Ceará, estando também melhor que a média nacional e regional, já que no Nordeste, a média é de 12,8%, enquanto no país essa média sobe para 15,2% no ano de 2018.

Esse número de pouco mais de 10% de evasão universitária está bem longe da realidade de outras instituições federais, especialmente no centro-sul do país, onde algumas instituições chegam a números acima do dobro da taxa apresentada na Unilab.

O baixo índice de evasão universitária tem, certamente, diversos fatores, mas um dos principais é que a Unilab está entre as universidades que mais investem em Assistência Estudantil.

Em 2018, a universidade destinou para a área de assistência estudantil um total de R$ 13,5 milhões. Com este montante foi possível atender, por meio do Programa de Assistência Estudantil (Paes), 4.295 discentes. Percentualmente, isso representa que 55,1% dos discentes da Unliab recebem algum tipo de auxílio. Em outras universidades, a cobertura chega a ser de apenas 10% e é vetado o acúmulo da assistência estudantil com bolsas acadêmicas.

Com isso, a Unilab consegue prestar uma cobertura assistencial para 42,7% dos estudantes brasileiros, que recebem em média R$ 420,00, chegando ao índice de 90% entre os estudantes estrangeiros, que recebem mensalmente cerca de R$ 528,00.

Outro fator que ajuda a entender a baixa evasão universitária é a boa avaliação dos cursos da Unilab pelo Ministério da Educação (MEC). Numa escala de notas que vai de 0 a 6, a Unilab ficou com nota 4 no Índice Geral de Cursos (IGC) e também com nota 4 no tocante ao Conceito Institucional (CI). Quando a avaliação se refere ao Conceito de Cursos (CC) a boa avaliação se mantém nas graduações da Unilab nos Campi da Bahia e do Ceará.

Campus das Auroras, em Redenção/CE. Crédito: Servidora Ana Andrade.

Campus das Auroras, em Redenção/CE. Crédito: Servidora Ana Andrade.

O Curso de Humanidades, com Bacharelado e Licenciatura, na Bahia, por exemplo, obteve Nota 5, os demais, como Letras/Língua Portuguesa, Ciências Sociais e História tiveram nota 4. No Ceará, não é diferente. Os cursos mais bem avaliados foram Enfermagem, Engenharia de Energias e História com Nota 5, enquanto os cursos de Administração Pública presencial e a distância, Agronomia, Ciências Biológicas, Física, Matemática e Química ficaram com nota 4. Já o Conceito Preliminar de Curso (CPC) da Pedagogia obteve nota 5. No geral, os números indicam uma avaliação muito positiva da graduação na Unilab, onde 97% dos professores têm doutorado.

Outro dado importante a considerar é que, além da abertura de novos cursos de graduação, a pesquisa e a pós-graduação na Unilab tiveram um crescimento expressivo. No âmbito da Pós-graduação, a Unilab oferta atualmente 10 cursos de especialização Lato Sensu, todos na modalidade a distância, são eles: Especialização em Gestão Pública; Gestão em Saúde; Gestão Pública Municipal; Saúde da Família; Gestão de Recursos Hídricos, Ambientes e Energéticos; Ensino de Ciências: Anos do Ensino Fundamental – Ciências é 10; Segurança Alimentar e Nutricional; Gênero, Diversidade e Direitos Humanos; Literaturas Africanas de Língua Portuguesa; Metodologias interdisciplinares e interculturais para o ensino fundamental e médio.

Além disso, conta ainda com oito programas de mestrado com oferta anual de vagas, nas modalidades acadêmico e profissional, a saber: Mestrado Interdisciplinar em Humanidades (MIH); Mestrado Acadêmico em Enfermagem (MAENF); Mestrado em Antropologia (UFC-UNILAB); Mestrado Profissional em Matemática em Rede Nacional (PROFMAT); Mestrado Acadêmico em Estudos da Linguagem; Mestrado Acadêmico em Energia e Ambiente; Mestrado Profissional em Ensino e Formação Docente (associação com IFCE); Mestrado Acadêmico em Sociobiodiversidade e Tecnologias Sustentáveis – (MASTS); Ratifica, desta forma, um cenário de expansão e consolidação que faz da Unilab uma referência do ensino superior no interior da Bahia e do Ceará, englobando neste último o Maciço de Baturité.

Campus dos Malês, em São Francisco do Conde/BA.

Campus dos Malês, em São Francisco do Conde/BA.

Esse esforço conjunto vem melhorando a posição da Unilab nos rankings nacionais de educação superior, posicionando-a num patamar de igualdade em relação a outras instituições de ensino superior com muito mais tempo de atuação. Na avaliação do Ranking Universitário da Folha (RUF) de 2019, a Unilab subiu dois pontos, ficando no 168º lugar na classificação geral entre as instituições brasileiras, tanto públicas quanto particulares. Nos aspectos específicos do ranking também é possível ver o crescimento da Unilab, que no quesito Inovação, por exemplo, apresenta números muito próximos da Universidade de Fortaleza (Unifor) e da Universidade Estadual do Ceará (UECE).

Outro exemplo disso é o Ranking de Universidades Empreendedoras, realizado pela Confederação Brasileira de Empresas Juniores (Brasil Júnior), no qual a Unilab já aparece no 82º lugar. Esse ranking foi feito a partir de uma pesquisa que contou com a participação de 123 universidades, presentes nas 27 unidades federativas e consultando aproximadamente 15.000 universitários e o mesmo levou em consideração os seguintes aspectos: Extensão Cultura Empreendedora Inovação Capital Financeiro Infraestrutura Internacionalização e inovação.

Assim, apesar de jovem, com pouco mais de nove anos de existência, a Unilab – que teve a sua lei de criação (Lei nº 12.289) sancionada pela Presidência da República em 20  de julho de 2010 – tornou-se um exitoso projeto de uma educação avançada e de qualidade, que vem formando centenas de cidadãos capazes de multiplicar o aprendizado e fomentar o desenvolvimento social e econômico no Brasil e no exterior, uma vez que, além de estudantes brasileiros, a Unilab recebe discentes dos países africanos de Língua Portuguesa, como Cabo Verde, Guiné-Bissau, São Tomé e Príncipe, Angola Moçambique e Timor Leste.

Comentários encerrados.