Integração entre educação básica e superior marca Semuni 2019 na Bahia

Para muitos estudantes, o primeiro contato com uma universidade se dá apenas após a aprovação em um curso superior. Para os alunos do Colégio Adventista de Salvador/BA, a aproximação já acontece no Ensino Fundamental – uma tentativa de conectar e integrar os dois universos. Foi o que ocorreu no penúltimo dia da VI Semana Universitária (24), quando mais de 100 alunos, entre 8º e 9º anos, participaram de uma tarde de atividades no Campus dos Malês/BA da Unilab.

Junto à comunidade acadêmica, os estudantes do Colégio Adventista participaram de oficinas, interagiram com o corpo docente e discente, fizeram pesquisa de campo e registros fotográficos. Foi também o momento de dar os primeiros encaminhamentos na parceria para o Projeto Unafro 2020 – atividade desenvolvida na escola e que está em sua
nona edição.

A ideia do projeto é abordar o universo afro-brasileiro. Nele, os alunos escrevem poemas que são organizados em livros. Posteriormente, apresentam os materiais de forma dramatizada e musicalizada. Um desses recitais aconteceu na Unilab, durante a Semana Universitária (Semuni), com a apresentação do fragmento de um espetáculo de duas horas.

Patrícia Santos, criadora e coordenadora do Unafro, foi uma das professoras que acompanhou os alunos do Ensino Fundamental. “Eles vieram para assistir, se inscreveram nos cursos, quiseram conhecer estudantes e servidores, se interessaram em saber sobre a experiência de estudar na Unilab e conhecer sua proposta”, declarou a educadora, que defende uma longa parceria entre as instituições.

“Nós queremos que os alunos, antes mesmo do Ensino Médio, saibam o que é o universo de uma universidade. Eles ficaram encantados. A maioria nunca tinha entrado em uma universidade”, afirmou a professora de Português. “Nós queremos que nossos alunos entrem e permaneçam em uma universidade. Trazê-los aqui é muito importante, para que vejam que é algo que vale a pena na construção do conhecimento”, completou Patrícia, garantindo ter aprendido bastante com a parceria que está em seu terceiro ano.

Em 2019, a presença do Unafro na Unilab se deu junto ao Projeto Bahia Vista de Perto, também do Colégio Adventista de Salvador. Comandada pelo professor de Geografia Nilson Leão, a atividade multi e interdisciplinar tem o objetivo de fazer com que os alunos conheçam seu estado presencialmente, não apenas por meio dos livros e salas de aula. O projeto tem início no 6º ano e vai até o fim do Ensino Médio. A cada ano, história, economia e cultura de novos lugares são conhecidos e vivenciados. Na Unilab, o projeto encontrou, entre outras possibilidades, “uma forma de visitar a África sem sair da Bahia”, afirmou o coordenador.

Foto: Colégio Adventista de Salvador

Para Nilson, que ministra o conteúdo “Continente Africano”, o intercâmbio entre escola e universidade “faz cumprir a universalidade e a pluralidade cultural das ideias humanas, independente da faixa etária. Por consequência, oportuniza a transmissão de conhecimento”. E assegura, “a educação formal não pode e não foi criada para ficar encarcerada nas salas de aula e nas linhas dos livros didáticos”.

Escola e universidade têm projetos e propósitos em comum e a Semuni 2019 foi palco para a aproximação e o compartilhamento de saberes entre esses personagens. “O ensino, a pesquisa e a extensão são os pilares da universalidade educacional, seja na educação básica ou superior”, acredita o professor Nilson Leão.

Balanço Geral

A Semana Universitária 2019 no Campus dos Malês/BA contou com grande adesão por parte da comunidade acadêmica e da região do Recôncavo Baiano.

Confira um balanço geral dos números da VI Semuni na Bahia:

Comentários encerrados.