Administração superior da Unilab visita Campus dos Malês

Durante os dias 12 a 14 de novembro, uma comitiva de gestores da Unilab esteve presente na Bahia para uma série de atividades, incluindo encontros com representantes docentes e discentes, bem como reuniões com parlamentares, prefeitos da região e o Secretário de Educação da Bahia. Além da importância para a consolidação do campus, foi um momento significativo para a instituição, sendo a primeira vez em que toda a administração superior esteve simultaneamente no Campus dos Malês. Este esforço de aproximação tem grande importância dentro da realidade dos campi fora de sede de várias universidades no Brasil, que enfrentam grandes desafios burocráticos e logísticos em seu funcionamento.

Integraram a comitiva o Reitor pro tempore Alexandre Cunha, a Vice Reitora pro tempore Andrea Linard; os Pró-reitores Leonardo Ramos (Administração), Rafaella Pessoa (Extensão, arte e cultura), Edson Holanda (Graduação), Albanise Marinho (Pesquisa e Pós-Graduação), Socorro Maciel (Políticas Afirmativas e Estudantis), Matheus Dantas (Planejamento) e Max César (Relações Institucionais); além da Diretora de Tecnologia da Informação, Lígia Carvalho, o Superintendente de Gestão de Pessoas, Adriano Semião, o Coordenador de Comunicação, Marco David, e o representante da Educação a Distância, Alberson Bruno.

A primeira dentre as várias atividades realizadas foi uma reunião de todo o grupo da administração superior com as Diretorias do Campus, Mirian Sumica no administrativo e Pedro Leyva no âmbito Acadêmico, como Diretor do IHL. Dentro do compromisso da gestão com a melhoria e expansão da atuação da Unilab na Bahia, foram discutidos diversos assuntos envolvendo desde os problemas de infraestrutura e necessidades imediatas pelos quais o Malês vem passando, até perspectivas acadêmicas a longo prazo, para crescimento e abertura de novos cursos na Bahia, com indicações já para início dos trabalhos e criação de um curso de Direito e também de Ciências Políticas.

Também foram levantadas as questões acerca da viabilização de uma editora virtual para a Universidade, com sede no Malês. “Temos possibilidades para fazer muita coisa aqui. Vamos virar a referência de ensino superior para São Francisco do Conde e munícipios vizinhos”, afirmou Alexandre Cunha.

Os encontros e reuniões realizados durante os três dias em que a comitiva esteve na Bahia levaram à criação de um plano de trabalho, a ser realizado em conjunto por toda a administração superior, passando por questões como os contratos de reforma e manutenção do atual prédio do campus, mudanças no contrato do Restaurante Universitário, aquisição de livros para a biblioteca e um novo contrato para transporte dos estudantes. Além disso, entram no planejamento a criação de mais áreas de convivência no Campus e um centro de formação continuada para professores, além de um projeto que permita mais opções para a mobilidade de estudantes entre Bahia e Ceará.

As Obras e a Infraestrutura do Campus dos Malês

Durante a manhã do dia 13, os pró-reitores Matheus Dantas (Planejamento), Leonardo Ramos (Administração) e Max César (Relações Institucionais) realizaram uma visita às obras de construção dos novos blocos no Campus dos Malês, bastante atrasadas devido a problemas com a empresa licitada. A previsão era de entrega de dois novos blocos, com projeto semelhante aos blocos didáticos da Unidade Acadêmica dos Palmares, com salas de aula, biblioteca e laboratórios. A demanda por mais espaço e melhor infraestrutura já é antiga para o Campus dos Malês, razão pela qual o atraso nas obras toma proporções mais sérias e tem grande impacto no desenvolvimento das atividades da Unilab na Bahia.

Há cerca de um ano, a universidade vem enfrentando dificuldades no trato com a atual empresa responsável, que demonstrou completo descaso e falta de compromisso, não tendo executado nem 10% do que estava acordado em contrato para o período. Dessa forma, a instituição se encontra empenhada em chegar a uma solução junto a empresa, que encontra-se atualmente no prazo para apresentar sua defesa. Mesmo com os problemas, uma vez que a estrutura básica dos blocos já está feita, espera-se que após concluídos os processos da nova contratação e reiniciados os trabalhos, as obras possam correr sem maiores entraves e com mais agilidade.

Apesar disso, considerando a necessidade imediata, durante a reunião com a Diretoria Administrativa do Campus foram tratadas opções que possam permitir que as atividades acadêmicas corram de modo satisfatório enquanto correm as tratativas para a solução definitiva: “não estamos aqui para fazer improvisos”, afirmou Alexandre Cunha.

Além do próprio Campus, atualmente as atividades acadêmicas da Unilab Bahia suprem suas necessidades de espaço com a utilização de salas de aula localizadas em outras instituições, através do uso compartilhado de prédios emprestados pela prefeitura. A solução, entretanto, precisa ser revista, pois existem dificuldades de locomoção, questões relativas ao mobiliário das salas, visto que algumas servem também à educação infantil, e questões de segurança.

Encontros com a comunidade acadêmica

A manhã do segundo dia de trabalhos, os reitores realizaram reuniões com representações da comunidade acadêmica. Inicialmente, receberam representações docentes e membros da ASSUFBA (Sindicato dos Trabalhadores Técnico-administrativos em Educação das Universidades Públicas Federais no Estado da Bahia), que trouxeram suas pautas e considerações sobre o momento atual da educação. 

Após a primeira reunião, aconteceu um encontro com as representações discentes, que apresentaram suas perspectivas sobre a situação do Campus dos Malês e apresentaram as reinvindicações da categoria. Boa parte das questões levantadas, especialmente no que se referia a infraestrutura, já havia sido pontos discutidos com a direção do campus no dia anterior, mas também foram puxados questões mais específicas das atividades acadêmicas relacionadas a editais de bolsas e maiores possibilidades de intercâmbio de estudantes entre os campi Ceará e Bahia. Também foi uma demanda dos estudantes que a aproximação entre a Unilab sede e Bahia fosse mais estreita, com visitas mais regulares. Ao final do encontro, a pedido dos estudantes, Alexandre ainda gravou um depoimento onde se comprometeu com o trabalho em prol das melhorias no Campus dos Malês.

Agendas Externas

Como agenda externa, na quinta-feira os reitores da Unilab estiveram com o prefeito de São Francisco do Conde, Evandro Almeida, além da diretora do Campus dos Malês, Mírian Sumica, os secretários municipais, Eliezer de Santana – SEGOV, Renato Costa Rosa – SEMAP, Eleuzina Falcão – SESAU e Marivaldo do Amaral – SEDUC. Também participaram a secretária municipal de Planejamento, Silmar Carmo, a assistente técnica Ana Gleise e, representando a Secretária de Desenvolvimento Econômico, Ana Christina Oliveira. Esteve presente o assistente técnico Cândido Hildeberto Bezerra Lucas e o técnico do Departamento de Gerência de Empreendedorismo e Associativismo da SEDEC, Frederico da Luz. Completando as representações, também compareceram à reunião o secretário de Juventude do município de Madre de Deus, Ercson Gomes e a assistente técnica da Secretaria da Educação de Santo Amaro, Geovanice Vigas.

A melhoria da universidade foi a base das discussões, puxando inclusive os aspectos já tratados nas reuniões com a Diretoria do Campus dos Malês e a Comunidade Acadêmica. Foram aludidas prospecções de aperfeiçoamento e avanço em diversos aspectos do campus instalado em São Francisco do Conde, seja nas questões de infraestrutura ou formação e capacitação, a criação de um polo-digital e de outras formações tecnológicas. Alexandre Cunha, reitor da Unilab, trouxe a notícia da criação dos novos cursos presenciais: “temos a prospecção da inclusão de dois cursos presenciais aqui em São Francisco do Conde, os cursos de Direito e Ciências Políticas. Diante de todas as propostas que aqui foram apresentadas, inclusive a criação de um polo digital e de alternativas educacionais de formação e capacitação tecnológica e empreendedora, o primeiro passo é planejarmos essas projeções, partindo do viés econômico e estrutural viável para que juntos possamos unir forças e realizar esses projetos que serão de suma importância para o progresso de toda essa região”.

A secretária Eleuzina Falcão chamou atenção para o andamento do processo de implantação do curso de Medicina: “A implantação do curso de Medicina em São Francisco do Conde representa uma mudança de vida e saúde de toda região, sobretudo com relação ao município franciscano, onde esse curso será instituído”, disse. Diante da indagação da gestora da Saúde, o reitor Alexandre Cunha ressaltou questões técnicas que têm desacelerado o processo de aprovação para implantação do curso. “No decorrer do processo de construção dos blocos do curso de Medicina aqui em São Francisco do Conde, nos deparamos com um grande entrave relacionado à empresa encarregada pelas obras, o que afetou diretamente no planejamento que foi feito. Paralelo a essa questão estrutural que tem nos prejudicado muito e precisamos equacionar, também existe o certame dos equipamentos específicos para os laboratórios, que são cruciais perante esse curso”. E após agradecimentos ao apoio prestado pelas representações municipais à Unilab, o reitor se colocou à disposição para novos encontros com o poder público municipal, federal e estadual visando unir forças para solucionar os entraves que rondam a aprovação para a implantação do curso de Medicina e demais projetos propostos.

Comentários encerrados.