Extensão universitária da Unilab é destaque no primeiro volume de série produzida pela Uneb

O que acontece quando dança e filosofia se encontram? E se a/o filósofa/o dançar ou gingar? É com questões como essas que o programa de pesquisa e extensão “AnDanças” tem trabalhado em seus cinco anos de existência na Unilab, Campus dos Malês. Agora, a proposta de interlocução entre dança e filosofia está bem sedimentada no primeiro volume da série “Extensão Universitária & Sociedade”.

A série é organizada pela Pró-Reitoria de Extensão da Universidade do Estado da Bahia (Uneb) e publicada por sua editora, a EDUNEB. Em seu Volume I, “Ecologia de saberes na universidade”, a ideia foi concentrar artigos e relatos de experiência, como espaço de disseminação da produção extensionista das instituições públicas de ensino superior. A obra foi lançada no último dia 12, no Museu de Arte da Bahia, em Salvador.

Na ocasião, estiveram presentes as três autoras do artigo do AnDanças, Beatriz Borges, Débora Menezes e Elizia Cristina Ferreira, todas da Unilab.

Autoras do artigo “AnDanças – o movimento corporal do pensamento”

A “Ecologia de Saberes”, tema central do livro, “surge da constatação de que o domínio dos modelos de desenvolvimento que, historicamente, temos vivenciado passa pela valorização de uma monocultura do saber, que sobrevive pela via de processos de invisibilidade e opressão de grande parte das populações que também produzem e edificam saberes em diversas instâncias, porém sem o reconhecimento da sua relevância social”, explica a equipe organizadora da série. O prefácio do livro é assinado pelo pesquisador português Boaventura de Sousa Santos, da Universidade de Coimbra.

Lançamento do Volume I “Ecologia de Saberes” | Foto: AnDanças

AnDanças e seu artigo

Promovendo a reflexão sobre a noção de “movimento corporal do pensamento”, o artigo de mesmo título, selecionado para a série, carrega o desafio de conjugar dança e filosofia, quebrando a dualidade prática x teoria, e tendo como metodologia a pesquisa participante.

O artigo apresenta “reflexões sobre a atuação de quatro anos de ações de pesquisa e extensão realizadas no Campus dos Malês, desde 2014”, explica Elizia Cristina Ferreira, uma das autoras.

Ele fomenta diálogos sobre a extensão universitária e insere a Unilab nessa discussão. Ao mesmo tempo em que apresenta a instituição, sobretudo o Campus dos Malês, destaca a importância da presença em seu território, facilitando o ingresso das comunidades quilombolas, ribeirinhas e indígenas ao ensino superior – os muitos mundos que formam a Unilab.

AnDanças é um programa de pesquisa e extensão em filosofia, arte e cultura. Formalmente, é uma linha de pesquisa vinculada ao grupo Geofilosofia e performances do pensamento, que busca o movimento e o andar, numa tentativa de transpor as fronteiras da universidade, enquanto instituição de ensino superior, e verificar o que essa andança mobiliza em seus participantes.

Para isso, tem trabalhado com um cronograma de atividades vinculadas à dança, às performances da cultura popular em geral e ao movimento. Muitas vezes, refletindo sobre pedagogias decoloniais e ouvindo a voz de conhecimentos que foram excluídos do saber acadêmico ou do ensino superior durante muito tempo.

Conheça mais sobre o AnDanças, clicando aqui.

Comentários encerrados.