Unilab é a 2ª melhor universidade do Ceará e está entre as dez melhores universidades do Norte/Nordeste

A Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (Unilab), criada há pouco mais de nove anos, está entre as dez universidades da região Norte/Nordeste com os melhores Índices Gerais de Cursos (IGC), sendo também, de acordo com esse índice, a 2ª melhor universidade do Ceará, ficando atrás apenas da sexagenária Universidade Federal do Ceará (UFC), atestando, assim, seu alto padrão de ensino, que se reflete na qualidade dos cursos oferecidos.

Para o pró-reitor de Graduação, Edson Holanda, “a (boa) colocação da Unilab repercute o sucesso do processo de consolidação e institucionalização de uma jovem universidade, que articula projetos de integração regional e internacional nos estados do Ceará e Bahia e ao mesmo tempo valoriza a excelência na qualidade do ensino, pesquisa e extensão.”

Para entender melhor a dimensão deste feito, é preciso compreender como se dá a avaliação das universidades e o que é o IGC. Segundo as próprias palavras do Ministério da Educação (MEC), o IGC “é um indicador de qualidade construído com base numa média ponderada das notas dos cursos de graduação e pós-graduação de cada instituição. Assim, sintetiza num único instrumento a qualidade de todos os cursos de graduação, mestrado e doutorado da mesma instituição de ensino. Divulgado anualmente, o resultado final do IGC é expresso em valores contínuos (que vão de 0 a 500) e em faixas (de 1 a 5). Notas 1 e 2 são consideradas insatisfatórias”.

Para a graduação, o cálculo do IGC considera a média dos Conceitos Preliminares de Curso (CPC) da instituição. O CPC tem como base o desempenho dos estudantes no Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade), o quanto o curso agrega de conhecimento ao aluno, além de indicadores de corpo docente, infraestrutura e organização didático-pedagógica. Na pós-graduação, o IGC utiliza a Nota Capes, que avalia a qualidade da pós-graduação numa escala de 1 a 5.

Campus da Liberdade, em Redenção (CE)

Estes indicadores orientam as visitas in loco dos avaliadores do Instituto Nacional de Educação e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), além de informarem a sociedade sobre a qualidade das instituições. Desta forma, o IGC cumpre com a função de diminuir as distâncias entre instrumentos de avaliação objetivos e as visitas in loco de especialistas às instituições.

Edson Holanda acrescenta ainda que “entre os aspectos de maior relevância nas visitas que o INEP realiza para avaliar e reconhecer os cursos de Graduação destaca-se a qualificação do corpo docente. Na maioria dos cursos da Unilab, 100% do corpo docente é formado por doutores.”

Segundo esses cálculos, a Unilab ficou com nota 4 no Índice Geral de Cursos (IGC) e também com nota 4 em relação ao Conceito Institucional (CI). Quando o critério se refere ao Conceito de Cursos (CC), a boa avaliação se mantém nas graduações da Unilab nos campi da Bahia e do Ceará. O Curso de Humanidades, com Bacharelado e Licenciatura, na Bahia, por exemplo, obteve Nota 5; os demais, como Letras/Língua Portuguesa, Ciências Sociais e História tiveram nota 4. No Ceará, não é diferente. Os cursos mais bem avaliados foram Enfermagem, Engenharia de Energias e História, com Nota 5, enquanto os cursos de Administração Pública presencial e a distância, Agronomia, Ciências Biológicas, Física, Matemática e Química ficaram com nota 4. Já o Conceito Preliminar de Curso (CPC) da Pedagogia obteve nota 5.

Desta forma, conclui Holanda: “Os números promovem uma imagem positiva da instituição para a sociedade e podem ser utilizados para divulgar a qualidade e excelência de seus cursos de graduação e pós-graduação”.

Comentários encerrados.