Unilab contará com monitoramento constante da qualidade do ar nas Bibliotecas

Pensando em prolongar a vida útil do acervo bibliográfico da Unilab e evitar o precoce amarelamento das folhas dos livros, a degradação de suas fibras celulósicas, além de evitar alguns sinistros provocados por micro-organismos, o Sistema de Bibliotecas da Unilab (Sibiuni), a partir desse mês de fevereiro, passa a monitorar a qualidade do ar dos ambientes das bibliotecas setoriais onde ficam os acervos bibliográficos objetivando garantir um ambiente salubre para os mais de 50.000 exemplares. 

Sabe-se que o desequilíbrio da temperatura e da umidade relativa do ar provoca no acervo uma dinâmica de contração e alongamento dos elementos que compõem o papel, além de favorecer a proliferação de agentes biológicos, tais como fungos e bactérias. Uma regra geral estabelece que as reações químicas dobram a cada elevação de temperatura de 10° C.

No caso especial da celulose, mostrou-se que testes artificiais de envelhecimento indicam que cada aumento de 5° C quase dobra a taxa de deterioração, mesmo na ausência de luz, poluentes ou outros fatores.

Na busca de um ambiente mais salubre para os livros, os espaços que abrigam os acervos passarão a contar com equipamentos que proporcionarão o monitoramento do ar desses ambientes.

A falta de controle da temperatura e da umidade pode gerar o desenvolvimento de micro-organismos, sendo assim, o controle da umidade e temperatura nos locais de guarda de acervo serão medidos por aparelhos termo higrômetros digitais que medem a temperatura e a umidade relativa do ar. O acervo, também, contará com aparelhos esterilizadores de ar e repelente que atuarão no controle de mofo, ácaros, fungos, maus cheiros e excesso de umidade.

O controle ambiental é fundamental para que possamos garantir a manutenção do valor patrimonial do rico acervo da Unilab. Há de se registrar que o Sibiuni, desde 2018, desenvolve, ainda, pequenas ações de preservação do seu acervo bibliográfico com execução de serviços técnicos de conservação, higienização, restauração e, por fim, o armazenamento correto das coleções nas prateleiras, com o objetivo de preservar, da melhor maneira possível, e de acordo com as melhores práticas de preservação adotadas pelas principais bibliotecas no Brasil. (Direção do Sibiuni).

Comentários encerrados.