Festival Lamparina de Histórias apresenta a magia das artes e narrativas medievais

Tente imaginar como era, na época da lamparina, a diversão, a alimentação, as histórias de cavaleiros e suas lutas épicas. Sem televisão e internet, o mundo era da palavra – das histórias contadas e recontadas. Agora, em 2020, o Festival Lamparina de Histórias vai retomar a magia das artes e narrativas medievais.

O evento acontece de 5 a 7 de fevereiro. Nos dois primeiros dias será realizado no Cineteatro São Luiz, em Fortaleza. Já no dia 7, no Campus da Liberdade da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (Unilab), em Redenção/CE.

Em sua 20ª edição, o projeto “Lamparina de Histórias: Festival de Narrativas e Artes Medievais” reunirá mais de 12 atrações, entre grupos, narradores da rede de contadores de histórias do Ceará, grupos musicais, dramistas e uma programação especial sobre oralidade e tradições medievais – um convite ao entretenimento e à reflexão sobre o nosso passado e nossas histórias.

Confira a programação completa.

Haverá participação de um grupo de estudantes da Unilab nas ações realizadas em Fortaleza e na instituição de ensino. A organização informa que haverá certificação.

“Neste ano, o projeto vem reunir a tradição antiga das palavras e outras tradições, a exemplo das artes e dos ofícios do couro, barro, palha, tecido e metal. Além de trazer o gostinho da cozinha dos nossos antepassados, sejam portugueses, africanos ou indígenas”, explica a organização.

Entre as atrações, o festival conta malabares, a Banda Cabaçal Palmares e cuspidor de fogo, oficina de xilogravura, bate-papo com as senhoras do Drama de Guaramiranga e sessões de bate-papo com o mestre Ricardo Menezes, especialista no estudo de artes medievais, e com o mestre da xilogravura João Pedro do Juazeiro.

As artes literárias também serão destaque, com a contação de histórias, seja pelos contos de fadas ou pela poesia.

Toda a programação é gratuita, graças ao incentivo do Grupo Enel, por meio da Lei Estadual de Incentivo à Cultura da Secretaria de Cultura do Estado do Ceará, com apoio do Cineteatro São Luiz e da Unilab.

Festival de magias

Além das atrações culturais, o público cearense poderá conferir bancas com comidas tradicionais e receitas antigas, artigos de couro e outras formas de arte. “Será um mergulho no passado, sem perder o wifi de vista”, brinca a equipe organizadora. “O importante é mergulhar nessa ideia de voltar ao passado e desfrutar de narrativas de senhores e senhoras, artistas do povo com suas memórias fabulosas”, garante.

Por onde já passamos

Em anos de existência, o projeto Lamparina de Histórias teve seu primeiro registro documental no ano de 2008. De lá para cá, ele tem crescido, chegando a tomar forma de documentário em 2013, com o “Lamparina de Histórias na Villa das Artes”.

Atualmente, o festival já passou por Assaré, Aquiraz (Sede e Praia do Batoque), Beberibe, Caucaia, Canindé, Crateús, Fortaleza (Centro Cultural Banco do Nordeste, Centro Cultural Dragão do Mar, João XXII e Dias Macedo), Guaramiranga, Itapipoca, Itarema, São Gonçalo do Amarante (Sede, Pecém e Taíba), Saboeiro e Redenção.

Comentários encerrados.