Fazenda Experimental Piroás possui precipitações anuais acima da média do Ceará, aponta relatório; índice pluviométrico teve aumento em 2019

Foto: Lourenço Marreiros

Dados divulgados pela equipe da Fazenda Experimental Piroás (FEP), nesta quarta-feira (12), indicam que a região onde está inserida, em Redenção/CE, apresentou em 2019 um total de precipitações pluviométricas de 1.472,8 mm.

Comparado ao ano anterior, o dado representa um aumento discreto de 4,12%. Apesar disso, Lourenço Marreiros, gerente da FEP, ressalta que a Fazenda possui médias históricas de precipitações anuais 133% acima da média do Estado do Ceará, que é de 600 mm.

Foto: Lourenço Marreiros

O destaque é para o mês de março de 2019, que apresenta o maior valor (376,38 mm) entre 2018-2019, biênio analisado, seguido de fevereiro de 2019, com 309,63 mm . Outro fator relevante foi a antecipação das chuvas do período de inverno, em 2019, comprovado pela alta precipitação no mês de dezembro de 2018 (184,88 mm).

Os dados pluviométricos coletados são frutos de um trabalho de frequência de medições diárias, às 9h, a partir de um pluviômetro instalado na área da Fazenda, pertencente ao Grupo de Pesquisa em Biofertirrigação (GPBio). Os dados são imprescindíveis para que se tenha um bom manejo da irrigação em áreas de experimentos da FEP.


Sobre a Fazenda Experimental Piroás/Unilab

Localizada a 17km do Campus da Liberdade, na localidade de Piroás, distrito de Barra Nova, a FEP pertence à Unilab e foi adquirida em 8 de agosto de 2012. Possui efetivamente 28,2 ha, com as seguintes coordenadas geográficas: 4o 9’19.39’’S e 38o 47’41.48’’O.

Foto: Lourenço Marreiros

Está sob a gerência do Engenheiro Agrônomo e servidor vinculado ao Instituto de Desenvolvimento Rural (IDR), Lourenço Marreiros Castelo Branco, mestre na área de concentração “Irrigação e Drenagem”.

O principal objetivo da FEP é proporcionar a realização das aulas de Práticas Agrícolas (PA), disciplina inserida no PPC, permitindo o contato/vivência dos discentes do curso de Agronomia com o meio rural para aprendizagem in loco. Outros objetivos, de igual relevância, são: desenvolvimento de projetos e pesquisas científicas; capacitações/treinamentos e exercício da extensão rural localmente, aproximando a assistência técnica à comunidade e permitindo a aplicação de técnicas rurais para um bom desenvolvimento econômico-social.

Foto: Lourenço Marreiros

Entre algumas das práticas agrícolas na Fazenda, os docentes da Unilab ministraram sobre: identificação das condições edafoclimáticas importantes para o estabelecimento das culturas; noções gerais do funcionamento de um sistema de irrigação; preparo de área e plantio de espécies utilizadas para adubação verde; manutenção do canavial; colheita de milho e feijão e aplicação prática do Código Florestal, baseando-se pelo Cadastro Ambiental Rural (CAR).

Comentários encerrados.