VI Semana Universitária se destaca na qualidade e diversidade temática dos trabalhos apresentados

Diversidade: Participação dos institutos da Unilab com apresentação dos estudos e pesquisas| Ensino Aprendizagem em Braille

Durante a sexta edição da Semana Universitária da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (Semuni/Unilab) diversas atividades acontecerem nos campi do Ceará e da Bahia, entre os dias 22 a 25 de outubro.

O evento anual, que já se consagrou no calendário acadêmico, trouxe o que há de novo em pesquisas de iniciação científica desenvolvidas e atuantes no estado do Ceará, abrangendo a temática escolhida: “Ciência e diversidade de gênero: produção de saberes para a afirmação dos direitos humanos”.

Estudantes e avaliadores na Unidade Acadêmica dos Palmares, em Acarape/CE

A programação foi repleta de atividades, entre oficinas, apresentações culturais, mini-cursos, exposição de fotografias e exibição de um curta, além das apresentações orais e exposição dos banners e roda de conversas, a exemplo da temática apresentada pelo bolsista do Observatório da Vida Estudantil (Observe/Unilab) Tiago Freitas, “Aprendizagem Cooperativa para a superação das dificuldades em trabalhos em grupos na universidade”.

Campanha Outubro Rosa, conscientização e alerta às mulheres e à sociedade sobre a importância da prevenção e do diagnóstico precoce do câncer de mama e do colo do útero.
Lucas Pereira e Larissa da Costa do curso de Enfermagem

“Ações educativas com crianças do Infantil V sobre hábitos alimentares saudáveis em uma escola municipal da cidade de Acarape/CE” foi a apresentação de uma das equipes do curso de Enfermagem, composta por Lucas Pereira, Larissa da Costa, Barbara Teixeira. A coordenação foi da professora do Instituto de Ciência da Saúde (ICS), Jamile Ferreira. Segundo a estudante do 6º semestre, Larissa da Costa, há a percepção da necessidade de implementar uma alimentação mais saudável, com a oferta de frutas e leguminosas nas refeições das crianças da primeira infância, entre 4 a 6 anos.

“Sabemos que os alimentos oferecidos a elas muitas vezes são alimentos industrializados, repletos de sódio, gordura e açúcar na fabricação, que podem levar a doenças como hipertensão, diabetes e problemas cardiovasculares, para a vida toda. Utilizamos, nesta pesquisa, as medidas antropométricas e a variação do cálculo do Índice de Massa Corporal (IMC), para saber se as crianças estavam acima ou abaixo do peso. Além disso, realizamos atividades lúdicas envolvendo as crianças na produção dos alimentos mais naturais”, explicou a estudante.

Pesquisas significativas com temas atualizados com contexto social

Pró-Reitoria de Planejamento e a Comissão Própria de Avaliação (CPA)

A Coordenação de Planejamento, vinculada à Pró-Reitoria de Planejamento (Coplan/Proplan), membra da Comissão Própria de Avaliação (CPA), apresentou seus trabalhos na VI Semuni, entre eles, o Painel de Avaliação Institucional, desenvolvido a partir do Unilab em Números, que está se desdobrando em vários painéis com informações específicas sobre Graduação, Extensão, Pós-Graduação, além da Avaliação Institucional e da Avaliação de Cursos (público-alvo: discentes e docentes). “Após a realização da Semuni, será aberto o prazo de Avaliação de Cursos, realizado pelos estudantes e docentes e, no final do ano, o prazo para Avaliação Institucional realizada pelos públicos, servidores técnicos, terceirizados e sociedade civil”, esclareceu Célio Ferreira, coordenador da Coplan.

Equipe da Coplan/Proplan e CPA

Encontros das Pró-reitorias da Unilab

As Pró-Reitorias também marcaram presença nos eventos vinculados à Semuni: (Proex) VII Encontro de Extensão, Arte e Cultura, com o foco nos discentes extensionistas dos projetos cadastrados (bolsistas/voluntários), bem como nos estudantes extensionistas externos à instituição; (Prograd) III Encontro de Práticas Docentes voltado para profissionais e estudantes da educação superior cujo objeto de pesquisa esteja voltado para investigação das práticas docentes manifestadas nos diversos espaços da sociedade; III Encontro de Iniciação à Docência e Educação Tutorial, voltado para estudantes bolsistas, atuais e egressos, dos programas PIBID, PRP e PET, além de público externo; I Encontro de Egressos, voltado para estudantes egressos da Unilab, cuja finalidade é a partilha de experiências e apresentação de trabalhos que contemplem a perspectiva de formados inseridos ou em inserção no mercado de trabalho; (Propae) IV Mostra da Vida Estudantil; e (Proppg) IV Encontro de Ciência e Tecnologia, V Encontro de Pós-Graduação e VIII Encontro de Iniciação Científica.

“Como defender o seu cérebro de um ataque Zumbi” da equipe da Liga de Neurociências

Durante o VIII Encontro de Iniciação Científica da Proppg, na última sexta-feira (25), foram avaliadas as apresentações de trabalhos orais, como um estudo da abordagem da mídia no consumo desenfreado, abordagem em História, Memória Oral, Análise da abordagem da imprensa escrita na epóca da abolição da escravatura, com a linguagem do jornal conservador e o liberal; pesquisas que trabalharam os saberes docentes para que o aluno consiga se dar com os aspectos da contemporaneidade; relatos de experiência com vídeos etnográficos, mostrando o que é feito na Unilab e pelos grupos de pesquisas, entre outros.

Apresentação Oral, com o tema: “Comunicadorxs de Rua: informação x fakenews”

Para a professora do CMF e doutoranda do Curso de Educação da Universidade Estadual do Ceará (PPGE/UECE), as pesquisa da Unilab são interessantes e diversificadas. “Acredito que a tendência é melhorar a cada ano, sendo de grande importância a realização deste evento para mostrar o que é pesquisa e sua importância para o país, em especial as realizadas na área de Ciências Humanas, mostrando a Unilab está produzindo pesquisas tão relevantes”, afirmou Francisca Reis.

Formação de equipes com estudantes estrangeiros e brasileiros

Outro destaque está não somente no volume quantitativo das apresentações, mas na formação dos grupos de estudantes, brasileiros e estrangeiros, com temáticas diversificadas e aprendizado mútuo. No contexto de extensão, com as idas às comunidades e as pesquisas realizadas dentro e fora da universidade “todos ganham. Estamos a crescer e, os próprios estudantes se sentem valorizados”, afirmou Carlos Subuhana, professor moçambicano vinculado ao Instituto de Humanidades (IH/Unilab).

A exemplo de superação e amplitude na produção de pesquisas científicas, com apoio de outros parceiros brasileiros e estrangeiros, o professor do Instituto de Ciências Exatas e da Natureza (Icen), Jober Sobczak, e sua equipe descobriram uma nova espécie de aranha, a Macrophyes pacoti. Além desta pesquisa, outras ações são realizadas junto ao Grupo de Pesquisa em Ecologia e Recursos Naturais (Ecolab/Unilab), como também do Grupo de Pesquisa em Biologia Vegetal (Bioveg).

Professor Jober Sobczak e integrantes do Grupo de Pesquisa em Ecologia e Recursos Naturais (Ecolab/Unilab)

“A universidade está inserida em uma região muito importante para nós que trabalhamos com ecologia, a região do Maciço de Baturité/CE. É uma região que se encontra muitas espécies novas. É importante ressaltar o valor da Unilab para pesquisa. Formamos muitos bons professores no Icen e, também, muitos pesquisadores. O Laboratório de Ecologia, inaugurado em 2015, no Campus das Auroras, tem atuação direta de 22 estudantes envolvidos com as pesquisas e extensão, assistidos com bolsas do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica, junto ao Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (Pibic/CNPq), Bolsas de Produtividade em Pesquisa, Estímulo à Interiorização e à Inovação Tecnológica da Fundação Cearense de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico (BPI/Funcap)e Bolsas de Iniciação Científica e Tecnológica (Bict/Funcap)”, afirmou o professor e doutor em Ecologia e Recursos Naturais, Jober Sobczak

Foram apresentadas duas novas espécies descobertas. A Macrophyes pacoti: assim foi batizada a nova espécie de aranha descoberta em Pacoti, na região do Maciço de Baturité/CE, foi divulgada em artigo na revista internacional Zootaxa, em parceria com pesquisadores do Instituto Butantan e da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp).

Já em publicação de um artigo na revista  Entomological Science, descreveram uma nova espécie de vespa, cujo nome homenageia a Unilab: Eruga unilabiana, coletada no Maciço de Baturité/CE.

O Grupo InterZOA, composto por estudantes do Curso de Licenciatura em Ciências Biológicas é coordenado pelo professor de Zoologia Geral do Icen, Roberth Fagundes

Segundo a pró-reitora de Extensão, Arte e Cultura, Rafaella Pessoa, os trabalhos se destacaram na qualidade. Houve participação massiva dos estudantes e da comunidade. Esta edição trouxe uma novidade: a participação das escolas de Ensino Médio da região do Maciço de Baturité/CE e do Recôncavo Baiano/BA, que tiveram a oportunidade de conhecer os cursos oferecidos pelos institutos da Unilab. “Ocorreu tudo no tempo e maneira certa. Tentamos dar oportunidades a todos e apresentar o melhor de nossas pesquisas”, concluiu.

Para as próximas edições da Semana Universitária, estuda-se ter como sede o Campus das Auroras, já que a universidade está em processo de reorganização dos espaços administrativos. 

Participação das escolas de Ensino Médio da Região do Maciço de Baturité/CE

No contexto da evolução científica e desenvolvimento de pesquisa acadêmicas, a professora e pró-reitora da Proex, Rafaella Pessoa, apresentou os dados consolidados nesta edição de 2019, com um total de 3537 credenciados, dos 3612 inscritos, além do quantitativo de trabalhos e apresentações. Confira o quadro a baixo:

Ações, pesquisas e novo curso de especialização (parceria Unilab/MU CONSAN-CPLP), ofertado pelo Instituto de Desenvolvimento Rural (IDR) e Instituto de Educação a Distância (IEaD)

Apresentações Culturais

No tocante à diversidade cultural da região, o grupo “Mini Becha Ball Cearense”, de Fortaleza/CE, fez sua apresentação no penúltimo dia do evento. O coletivo surgiu no Centros Urbanos de Cultura (Cuca), da Barra do Ceará, em 2018, quando foi lançado o edital “Ação Jovem”, que favorecia e investia em novos projetos de jovens da Rede Cuca, do movimento LGBT. 

Apresentação artística do coletivo ” Mini Becha Ball Cearense”

No encerramento, o grupo PesquisAtores – Invisíveldenós, da Universidade Estadual do Ceará (UECE), apresentou as dialéticas e problematizações da vida cotidiana para a Unidade Acadêmica dos Palmares. O grupo é composto por Mirella Mirla, Lucas Emmanuel, Reiges Jairo, Herlano Brasileiro e Lucas Menezes, e é dirigido por Reiges Jairo. São quatro formas de vida, que se perdem no tempo, toda vez que tentam uma aproximação, diante de uma quinta presença. Soltos como peças de quebra-cabeça e, ao mesmo tempo, presos em um ambiente claustrofóbico em movimento, o passado vem a ser prioridade de todos e a única visita capaz de conceder esmolas de memória parece se alimentar das circunstâncias, em serviço de um possível superior.

Grupo PesquisAtores da UECE – “Invisíveldenós”, composto por Mirella Mirla, Lucas Emmanuel, Reiges Jairo, Herlano Brasileiro e Lucas Menezes e dirigido por Reiges Jairo

Matérias relacionadas: Pesquisadores da Unilab descobrem nova espécie de aranha no Maciço de Baturité

Pesquisadores da Unilab descobrem nova espécie de vespa e homenageiam universidade

Comentários encerrados.